Sábado, 28 de Junho de 2008

A Arte da Antiguidade - Arte Egípcia (Continuação)

 


 

MÉDIO IMPÉRIO

 

Após o período de decadência do poder central e de instabilidade política do Primeiro Período Intermediário (e que se reflectiu na arte com o abandono dos cânones estabelecidos) inicia-se o Império Médio ( 2134 - 1782 a.C.) que corresponde à XI e XII dinastias.

 

- Mentuhotep II foi o primeiro Faraó do novo Egipto unficado do Médio Império. Criou um novo tipo de monumento arquitectónico funerário, com influências da arte do Antigo Império.

Mandou construir na região de Tebas Ocidental, o seu complexo funerário, como um templo no vale ligado por um longo caminho real a outro templo que se encontrava instalado na encosta da montanha. Formado por uma mastaba coroada por uma pirâmide e rodeado de pórticos em dois níveis, os muros foram decorados com relevos que representavam o Faraó na companhia dos Deuses.

- Na escultura, a expressão humana ganha uma maior dimensão, passando-se a representar nas estátuas reais o envelhecimento;

 

- A representação bidimensional perde a sua dependência dos cânones adoptando uma maior naturalidade e até noções de profundidade tridimensional. Nesta época criam-se esfinges reais nas quais o rosto do monarca surge emoldurado por uma juba.

- A pintura egípcia do Médio Império manifestou-se em túmulos de governadores nomos, onde recriou cenas de caça, pesca, banquetes ou danças. Seguindo a tradição do Antigo Império, o dono do túmulo surge representado em tamanho superior às outras personagens. A pintura é realizada sobre estuque e relevo. 

Como em todos os outros períodos foi essencialmente simbólica e seguiu rígidos padrões de representação, como a lei da frontalidade (os olhos, ombros e peito representam-se vistos de frente; a cabeça e as pernas representam-se vistos de lado); as áreas espaciais são bem definidas e o tamanho e posição  das figuras no espaço são estipuladas segundo regras hierárquicas; os traços são estilizados e rígidos, as formas bidimensionais (ausência de volume) e a cor é aplicada plana (sem modelado) e em manchas uniformes.

 

 

- As artes decorativas conhecem uma das épocas mais importantes, sobretudo no que diz respeito aos trabalhos de joalharia, que usavam metais preciososo e incrustações de pedras coloridas. Os amuletos, os pentes, os espelhos, as caixas e as candeiais caracterizam-se pela sua beleza. São bastante conhecidos os pequenos hipopótamos em faiança decorados com motivos vegetais. Neste período aparece a técnica do granulado e o barro vidrado alcançou grande importância na elaboração de amuletos e pequenas figuras.

 

 

SEGUNDO PERÍODO INTERMEDIÁRIO

- 1782 - 1570 a.C.;

- Este é mais um período escuro e de inseguridade do qual pouco se sabe e no qual se desenvolveu a matemática, a medicina e a cópia de papiros de épocas anteriores.

 

Publicado Por Cíntia Pontes às 21:59
Link do Post | Comentar | Adicionar Aos Favoritos '
|

« Mais sobre mim '

« Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

« Pesquise neste Blog '

« Posts Recentes '

« A Arte Medieval - Arte Ro...

« A Arte Medieval - Arte Ro...

« A Arte Medieval - Arte Pa...

« ACONTECIMENTO - A coroaçã...

« BIOGRAFIAS - São Bernardo

« A Arte Medieval (Contexto...

« Os frescos de Pompeia

« A Coluna de Trajano

« A Arte da Antiguidade Clá...

« A Arte da Antiguidade Clá...

« A Arte da Antiguidade Clá...

« ACONTECIMENTO - O incêndi...

« BIOGRAFIAS - O Romano Oct...

« A Arte da Antiguidade Cl...

« O Pártenon e Atena Niké

« O Estádio e o Teatro Greg...

« A Arte da Antiguidade Clá...

« A Arte da Antiguidade Clá...

« A Arte da Antiguidade Clá...

« ACONTECIMENTO - A Batalha...

« Arquivo '

« Março 2009

« Fevereiro 2009

« Janeiro 2009

« Dezembro 2008

« Novembro 2008

« Outubro 2008

« Setembro 2008

« Agosto 2008

« Julho 2008

« Junho 2008

« Maio 2008

« Abril 2008

« Março 2008

« tags

« todas as tags

« Links '